quinta-feira, 17 de março de 2016

Resenha - O Duque e Eu

Livro: O Duque e Eu
Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Duração da leitura: 5 horas
Avaliação: 💚💚💚💚(4/5)

O livro conta a história de Daphne Bridgerton, a quarta filha entre oito irmãos e também a mais velha entre as irmãs. Este livro faz parte da série Os Bridgertons, lançada pela Editora Arqueiro a partir de 2013. Serão ao todo 8 livros, contando a história de cada um dos irmãos.

Daphne é uma garota que atingiu a idade considerada adequada para se casar e há dois verões é apresentada para a sociedade porém não consegue um pretendente adequado. Dois eram velhos demais, um muito estranho e outro parecia gostar dela e não a deixava em paz, mas ela não sentia o mesmo por ele. Assim, vivia indo aos bailes da alta sociedade com sua mãe, a fim de encontrar um bom partido.

No livro também nos é apresentado o Duque de Hastings, Simon Basset. Simon, sempre teve problemas com seu pai, já que desde seu nascimento se mostrou exatamente o contrário do que seu pai desejava em um filho.

Simon retorna a Londres  na época em que as mães estão procurando bons partidos para suas filhas. Assim, por ser parte da alta sociedade passa a participar de bailes e ser empurrado para as moças que estão a procura de um marido. Ao conhecer Daphne, Simon se surpreende por encontrar uma garota esperta, inteligente e bem humorada, com quem a conversa flui levemente.

Assim, uma leve amizade surge entre os dois e Simon tem uma ideia para livrá-los das matronas casamenteiras. Eles assumem um compromisso falso, para que assim ele escape das mães e ela de sua própria mãe, que a arrasta para dançar e conversar com todos os rapazes das cidade. O que os dois não esperavam é que aos poucos a amizade entre eles se tornaria algo mais. O desejo se torna forte demais para ele e ela vai conhecendo o verdadeiro Simon e se apaixonando lentamente.

Com enredo cheio de humor e uma escrita leve, Julia Quinn conquista os leitores já nas primeiras páginas. É escrito em terceira pessoa, então temos a alternância entre o que se passa com Daphne e Simon. Li o livro em ebook, então não tenho noção de como é a edição impressa. Não encontrei nenhum erro de tradução, gramática ou revisão.

Eu gostei muito da Daphne, até chegarmos em um momento que não vou contar por ser spoiler. Eu acho que ela foi impulsiva e egoísta, pensando apenas no que ela queria e sem pensar nas consequências que seus atos trariam ao Simon. Concordo que Simon mentiu pra ela e ela tinha toda razão de se chatear, mas na minha visão isso não justifica o que ela fez depois, já que ela não sabia o quão profunda era a cicatriz do Simon. Gosto de relacionamentos baseados em respeito e diálogo e a reação dela não foi nem um pouco respeitosa com a vontade dele.

Também tive momentos de muita raiva do Simon, que ficava repetindo que Daphne era sua mulher e por isso devia fazer o que ele manda. Sei que pela data da história as coisas eram assim, mas me incomodou bastante ler isso. Se fosse a autora do livro, como mulher, não teria nem a coragem de escrever uma coisa dessas. Achei muito machista nessas partes.

Um ponto positivo no livro foi a Lady Whistledown, que é a escritora de uma revista sobre fofocas da sociedade. Ela parece uma Gossip Girl de 1800 e eu adorei um personagem assim (talvez por amar GG).

Neste livro também somos apresentados ao restante da família. Anthony é o irmão mais velho e tem um cuidado especial com sua irmã, disposto até mesmo a perder um amigo para manter sua virtude e sempre pensando em sua felicidade. Benedict não teve sua personalidade muito apresentada no livro. Colin é um amor, muito preocupado com os sentimentos e a vontade da irmã, mal posso esperar para ler seu livro. Também temos Eloise, Francesca, Gregory, Hyacinth e a mãe deles, Violet.


Gostei muito do livro como um todo. Só ganhou 4 corações por causa dessas frases machistas e do egoísmo momentâneo da Daphne.

E vocês, já leram? O que acharam?

Nenhum comentário:

Postar um comentário